marketplace

O que é um Marketplace e como criar um aplicativo de vendas completo

Sumário

O que é um Marketplace e como criar um aplicativo de vendas completo

Se você está pesquisando sobre vendas online, deve ter percebido que o modelo de aplicativo de Marketplace é o assunto do momento. Mas você sabe o que é Marketplace, como funciona, quais são as perspectivas e se vale a pena investir no modelo?
Os Marketplaces são sites de comércio eletrônico que conectam vendedores e compradores. Geralmente é chamado de mercado eletrônico e todas as transações são gerenciadas pelo proprietário do site. As empresas usam mercados online para atrair clientes que desejam comprar seus produtos e serviços. Exemplos de mercados online incluem Amazon, B2W e MercadoLivre.
Criamos um guia completo sobre o que é Marketplace e como você pode lucrar investindo nesse modelo de negócios.

O que é Marketplace?

O Marketplace é uma plataforma para os fornecedores se reunirem para vender seus produtos ou serviços a grupos de clientes selecionados. O papel do dono do Marketplace é reunir os fornecedores certos e os clientes certos para impulsionar as vendas por meio de uma excelente plataforma de vários fornecedores – os vendedores têm um lugar para ganhar popularidade e vender seus produtos, e os proprietários do Marketplace conseguem um. A

comissão para cada transação. Por outro lado, uma loja online é uma loja que vende seus produtos online. Todo o marketing e operações são administrados pela empresa proprietária do site e dos produtos.

Ao contrário dos donos de lojas online, os donos do Marketplace não têm estoque para venda na plataforma. Portanto, os donos do Marketplace deixam mais aspectos operacionais do negócio para os fornecedores e se concentram principalmente na promoção de suas marcas no Marketplace para atrair tráfego da plataforma e converter visualizações do site em vendas.

Exemplos de Marketplaces são grandes empresas com grandes estoques, como Amazon, Rakuten ou eBay, ou plataformas de nicho como Etsy (artesanato feito à mão), Runnics (roupas esportivas para corrida) ou Shop.Surf (equipamentos, moda surf e skate). Em contraste, uma loja online é apenas uma empresa, como Zara, Apple e Nike, que vende seus produtos online através de sua própria loja online.

Diferença entre Marketplace e E-commerce

Após entender o que é Marketplace, é preciso diferenciar o modelo do e-commerce. O e-commerce é uma espécie de loja virtual que, por utilizar estoque próprio, só pode fornecer produtos ou serviços de um fornecedor ou empresa. 

Já o Marketplace é um shopping virtual que oferece múltiplas opções para vendedores ou prestadores de serviços. Por exemplo, Mercado Livre e Enjoei são Marketplaces que usam produtos de lojas diferentes.
No e-commerce, o empreendedor precisa cuidar do estoque e da logística na hora de fornecer seus próprios produtos ou serviços. No Marketplace, os proprietários não precisam se preocupar com essas atividades. Isso porque ele fornecerá produtos e serviços de outras empresas em um canal.

Portanto, o Marketplace tem maior influência e potencial de crescimento. Entre eles, você pode construir uma grande rede de fornecedores e, no e-commerce, será limitado por sua própria produção e capacidade de serviço.

Como funciona um Marketplace

O modelo de negócios de um Marketplace envolve a definição de vários aspectos de um Marketplace. Entre eles, o modelo de receita, público-alvo, proposta de valor, etc. Em geral, existem quatro opções de modelo de negócios para sua plataforma:

Marketplaces de serviços de baixo orçamento: Este modelo de negócios é ideal para produtos ou serviços de venda complexa. Em outras palavras, quando um orçamento é negociado antes de fechar o negócio. Por exemplo, serviços de manutenção, como encanamento ou pintura, geralmente usam esse modelo de negócios.

Orçamento do Marketplace de produtos: Neste caso, o modelo também envolve orçamentação e negociação, mas referindo-se a produtos. Os Marketplaces B2B, que buscam fornecedores para empresas, são um exemplo.

Mercado de Marketplace no Mundo e Marketplaces no Brasil

Homem trabalhando no computador
Normalmente há uma reunião ou uma chamada para definir a quantidade ou negociar valores e condições e, portanto, o fluxo comercial é orientado por preços.
Marketplaces de serviços de programação: O modelo de serviços de programação é bastante comum entre profissionais como professores particulares, médicos, psicólogos, personal trainers, cabeleireiros, etc. Ou seja, serviços que requerem marcação prévia.
Marketplace para aluguel de espaços ou produtos: O modelo de aluguel é ideal para compartilhar espaços ou produtos.

Portanto, é possível alugar espaços para eventos no Marketplace. Ou o aluguel de roupas de festa ou material de escritório, por exemplo.
Marketplaces de produtos: Este modelo de negócio é bem conhecido dos empresários. É a intermediação da venda de produtos, como acontece no Magazine Luiza ou no Mercado Livre. Mas, justamente por ser muito conhecido, esse tipo de Marketplace tem muita concorrência, principalmente se for B2C e C2C.

Pelo contrário, o nicho de produto B2B é uma boa oportunidade para explorar. De fato, muitas empresas desejam facilitar a compra de produtos e a terceirização de serviços online. Por fim, para facilitar o processo de escolha e organização do seu modelo de negócio, contamos com uma tela exclusiva para o Marketplace. Com esta ferramenta, você pode visualizar seu modelo de forma sucinta e simplificada.

Desde 2014, e-marketplaces se tornaram abundantes. Alguns possuem uma grande variedade de interesses, sendo aplicados a quase todas as necessidades de seus clientes. É o caso do Submarino, que oferece todos os tipos de produtos, e agrega produtos de estoque próprio e de grandes lojas. Outro tipo de marketplace foca em interesses específicos, tornando-se a escolha correta para um assunto.

Esse é o caso da Netshoes, que oferece produtos voltados para esportes e exercícios ao ar livre. Por fim, não é a apenas a plataforma de venda online que conta para o sucesso de um marketplace. A interface e a experiência dos usuários também são importantes.
As pessoas preferem ser usuárias de sites e portais que organizam os produtos da forma mais acessível possível. Essa facilidade de acesso e compra pode garantir a fidelidade de um usuário.

Marketplace P2P e B2B

Marketplace: como usar a ferramenta de compra e venda do Facebook - Olhar Digital
Em primeiro lugar, muitas das plataformas são, na verdade, marketplaces focados em transações peer to peer (saiba o que é um Marketplace P2P). Isso significa que estes portais e aplicativos permitem que os próprios usuários forneçam serviços e produtos, fazendo com que eles também se tornem provedores.

Conhecidas como plataformas “switch”, esses marketplaces vão permitir que usuários ofereçam seus serviços e produtos ao mesmo tempo que podem usufruir dos produtos. Um exemplo de marketplace P2P é o AirBnb. Nesse portal, as pessoas podem oferecer o aluguel por temporada, sem necessariamente fazerem parte de uma empresa ou companhia.

O que é o Marketplace B2B?

O Marketplace B2B é uma plataforma de e-commerce que reúne compradores e vendedores B2B e permite que eles conduzam negócios online em um só lugar. Como suas contrapartes B2C, a empresa vende seus produtos (geralmente vendidos a granel com B2B) e outros serviços de valor agregado, mas no Marketplace B2B, os vendedores são marcas, fabricantes, fornecedores e atacadistas, e os clientes são outras empresas. Essas transações são processadas online por operadores de mercado.

De acordo com a natureza diferente das vendas B2B, o Marketplace B2B também pode ser chamado de outros nomes, incluindo plataforma de negociação B2B, site de compra ou compra de B2B, portal de B2B, Marketplace de vários fornecedores, catálogo de B2B, etc.

Exemplos de Marketplaces

Tributação para Marketplace de Serviços: entenda como funciona
Existem vários exemplos de Marketplace no mercado atual. Afinal, esse segmento de mercado já conquistou o mercado há vários anos e se tornou tendência no Brasil e no mundo. Isso pode ser visto pela quantidade. Segundo estudo da Precifica, o mercado cresceu cerca de 91% em 2018, chegando a mais de 14 mil lojas no Brasil

1. Amazon

A gigante Amazon abriu uma lista de exemplos de Marketplace. A empresa foi fundada por Jeff Bezos em 1994 e começou a vender livros em grande escala. Atualmente, a empresa é uma das maiores representantes do varejo mundial e, só em 2016, seu faturamento atingiu 400 bilhões de reais.
Hoje, a Amazon vende os mais diversos produtos e sua reputação e qualidade são conhecidas no mundo todo. No Brasil, iniciou suas atividades em 2017 e tem atraído a atenção de muitos lojistas, seja uma grande ou pequena loja que busca aumentar sua visibilidade, pois a empresa oferece comissões atrativas, eles podem lucrar mais com isso.

2. Americanas

Além de comercializar produtos próprios, a Americanas também colabora com departamentos de vendas terceirizados.
Com mais de 2 milhões de pedidos mensais e aproximadamente 12 bilhões de reais em vendas, vender na Americanas traz muitos benefícios interessantes, como custo zero de investimento inicial, a grande visibilidade proporcionada pela empresa, que pode gerar mais vendas e proteção contra intrusão e fraude.

3. Airbnb

Um dos maiores exemplos que representam o Marketplace de serviços, o Airbnb foi fundado em 2008 quando três amigos pensaram em alugar um espaço no apartamento para designers encontrarem um lugar para morar. Isso porque os encontros desses profissionais são realizados na cidade e o hotel está lotado.
Esta ideia aparentemente simples e óbvia tornou a Airbnb uma empresa milionária com um valor de mercado de mais de $30 bilhões. Esta startup conecta viajantes com pessoas que podem fornecer hospedagem, opera em 192 países / regiões e oferece as mais diversas experiências, como pessoas que podem viver em casas na árvore ou até mesmo em iglus.

4. Buscapé

O Buscapé é uma empresa brasileira, fundada em 1999, quando se propôs a comparar preços. Com o tempo, a empresa se reinventou e se tornou um Marketplace em 2016.
Nesse modelo de Marketplace, a plataforma conecta usuários com os mais diversos produtos e ofertas. As comissões serão geradas quando a transação for concluída, e a empresa possui soluções de pagamento inteligentes, sistemas antifraude, integradores e ERP.

5. Magazine Luíza

A brasileira Magazine Luiza é uma empresa brasileira que registrou lucro líquido de mais de 180 milhões de reais em 2018 e recentemente expandiu seus negócios com a venda de produtos para pequenos e médios varejistas de seu Marketplace.

A empresa é considerada uma das maiores empresas do Brasil, com mais de 35 milhões de visitas mensais, o que aumentou a visibilidade da equipe de vendas. Além disso, a empresa possui uma estrutura unificada em termos de experiência do usuário. Portanto, garante uma excelente experiência de compra através de servidores que suportam um grande número de acessos.

Como definir um Nicho de Mercado para o Marketplace

Homem trabalhando em computador
Quando falamos sobre o que é Marketplace de nicho, somos, na verdade, o mais específicos possível. Isso envolve o perfil do cliente (função), tipo de produto ou serviço fornecido, preço, etc.
Por exemplo, se você deseja criar um Marketplace de serviços domésticos. É necessário subdividir tipos específicos de serviços (como pintores). Além disso, ainda é possível expandir o nicho de Marketplace e atender apenas clientes que moram em apartamentos de alto padrão.
Alguns empresários podem achar que restringem demais o Marketplace. No entanto, como mencionado acima, esse é um grande erro. Pois bem, vai depender de um grande investimento em marketing para tornar a empresa financeiramente viável.

Ticket médio e viabilidade de mercado

Você já sabe que a taxa de conversão de nichos de mercado é muito maior do que a dos negócios digitais tradicionais. Você já sabe definir o nicho de Marketplace que funcionará. Portanto, o próximo passo é planejar a viabilidade do seu nicho de Marketplace.

Isso significa definir um cronograma (eu recomendo 12 meses inicialmente) e sua renda potencial aumentará mês a mês. Para fazer isso, considere a taxa de conversão estimada, o * preço médio do seu mercado e a taxa de crescimento mensal.

Modelo de Negócio e Receita para Marketplace

Homem paga com o celular na maquina de cartão
Se você está executando um projeto ou hobby sem fins lucrativos, pode levantar fundos para o desenvolvimento e manutenção do site por meio de doações ou despesas correntes. No entanto, na maioria dos casos, o financiamento, em última análise, precisa vir da comunidade que você atende – usuários do seu site.

Um dos motivos mais comuns para o fracasso das startups é a escolha de um modelo de negócios que não pode ser dimensionado para garantir a sustentabilidade de longo prazo. A maioria dos profissionais de marketing online usa seis modelos diferentes:
Comissão
Taxa de adesão / assinatura
Taxa de listagem
Taxa de chumbo
Freemium
Listas e anúncios em destaque

1. Comissão

O modelo de negócios mais popular no mercado moderno é cobrar uma comissão por cada transação. Quando um cliente paga a um provedor, a plataforma facilita o pagamento e cobra uma determinada porcentagem ou taxa fixa.

O maior benefício desse modelo de receita é que o provedor não precisa pagar nada antes de obter valor de mercado. Isso é muito atraente para os provedores. Ao mesmo tempo, do ponto de vista do Marketplace, esse modelo costuma ser o mais lucrativo: você receberá uma parte do valor total que a plataforma possui.

2. Taxa de adesão / assinatura

As taxas de adesão (às vezes chamadas de taxas de assinatura) são um modelo de receita em que alguns ou todos os usuários do Marketplace pagam uma taxa recorrente para acessar o Marketplace. Usando esse modelo, a proposta de valor típica dos fornecedores é que a plataforma os ajuda a encontrar novos clientes. 
Para os clientes, pode ajudá-los a economizar custos ou encontrar experiências únicas. Se o valor fornecido for alto e um usuário típico fizer várias transações, a taxa de associação é uma boa escolha, mas é conveniente ou difícil de pagar.

3. Taxa de listagem

Alguns Marketplaces cobram dos fornecedores quando eles lançam novas listas. Esse modelo geralmente é usado quando os provedores obtêm valor com base no número de listagens que possuem no site e o valor potencial de cada listagem é grande.
Esse modelo de negócio de mercado é muito comum na publicidade classificada.

A proposta de valor do site é muito simples: agrega um grande número de anúncios em um único target online e garante a visibilidade desses anúncios. As plataformas de publicidade classificadas geralmente nem tentam promover transações.

4. Taxa de cliente potencial

A taxa de lead está entre a taxa de listagem e o modelo de comissão. Em um modelo de taxa de lead típico, os clientes publicam solicitações no site e os provedores fazem lances para esses clientes. Comparado com o modelo de taxa de listagem, este modelo oferece uma proposta de valor melhor: pague apenas quando estiver em contato com clientes potenciais.
O modelo de lead só funciona quando o valor do lead é alto. Portanto, esse modelo não é comum no Marketplace C2C.

Um caso de uso típico é o serviço B2C ou B2B, em que cada novo lead pode estabelecer um relacionamento duradouro com clientes de várias empresas.
O Marketplace de serviços é um modelo de negócios inovador na indústria de serviços online. Este tipo de plataforma oferece uma excelente oportunidade para novos empreendedores digitais. E isso também é verdade para empresas tradicionais que desejam expandir sua escala de negócios.
Para vocês terem uma ideia do tamanho desse mercado, apresento alguns dados. Atualmente, a maioria das empresas brasileiras atua no setor de serviços. São eles limpeza, manutenção, desenvolvimento de software, marketing, serviços de saúde e mentais e outras áreas.

5. Freemium

A lógica por trás do modelo freemium é que a oferta principal é gratuita, mas depois de atrair usuários, você fornece recursos pagos de valor agregado. O desafio desse modelo é que esses serviços pagos precisam fornecer valor suficiente para atrair um grande número de usuários. Se apenas 1% dos usuários está interessado em seus grandes negócios e todos os outros usam seu site gratuitamente, isso pode não ser suficiente para um modelo de negócio sustentável.

Criar serviços de qualidade que interessem a um público amplo pode ser muito complicado. Portanto, muitas plataformas usam serviços de alta qualidade como uma fonte adicional de receita.
Em alguns casos, o Marketplace pode começar a fornecer serviços premium como um suplemento, mas acabará mudando todo o seu modelo de negócios para focar em serviços pagos.

Em um Marketplace de Nicho, as taxas de conversão são muito diferentes das do comércio eletrônico. Pode ser pelo menos 10 vezes superior à média do Marketplace. Em outras palavras, a taxa de conversão de visitantes em clientes é de 16%. Também há casos em que a taxa de conversão de alguns nichos de Marketplace chega a 30% ou 40%.

Isso ocorre porque, em um nicho de Marketplace, sua estratégia de marketing é mais direcionada. Pode atrair um público altamente segmentado, aumentando assim a probabilidade de os visitantes se tornarem transações.

Modelos de negócios e receita para Marketplaces

Aplicativo de supermercado
O Marketplace online é um “ponto de encontro”, uma plataforma para compradores e vendedores se reunirem para comprar e vender produtos. A plataforma fornece negociação, curadoria, organização e outras ferramentas valiosas para atrair oportunidades para ambas as partes e facilitar as transações. 
Portanto, compradores e vendedores estão tentando abrir uma conta e fazer cada vez mais negócios no Marketplace.

Marketplace de serviços

Imagine uma empresa terceirizada de serviços de limpeza de apartamentos. Ela tem várias responsabilidades. Por exemplo, recebe demanda, recruta, seleciona e treina profissionais. Além disso, gerencia a equipe. Em outras palavras, se houver algum problema, ele precisa ser resolvido. O faturamento é feito mensalmente ou pelos serviços executados.
Agora, suponha que a mesma operação seja realizada online usando a economia compartilhada. Desta forma, profissionais de limpeza serão contratados conforme a necessidade e controlam a própria agenda. Além disso, por ser online, é possível contratar corretores em qualquer cidade do país.

Marketplace de serviços de transação

O modelo mais comum é baseado em intermediários de pagamento entre unidades de negócios, cobrando comissões por cada operação realizada na plataforma. Um exemplo de sucesso é o Uber, que conecta motoristas (prestadores de serviços) com passageiros (clientes).
Não há taxas iniciais ou mensais para participar desse tipo de Marketplace. Desta forma, o prestador de serviço pagará apenas a comissão pela venda realizada. 

Contratar um Marketplace, um programador ou uma empresa?

Homem em coworking com notebook
Muitos empreendedores que decidem iniciar um negócio online têm dúvidas sobre qual plataforma usar. Depois de realizar pesquisas de Marketplace e definir o modelo de negócios, é fundamental escolher a tecnologia a ser usada. 
Para iniciar o Marketplace, existem basicamente duas opções: contratar programadores para desenvolver a plataforma do zero ou optar por usar uma plataforma de Marketplace pronta para uso.
Contratar uma empresa ou programador para criar uma plataforma do zero exige muitos pensamentos empreendedores. Algumas pessoas nem pensaram em outras possibilidades, como usar uma plataforma de Marketplace existente.

Vantagens de contratar um programador

O objetivo usual é contratar um programador de marketing para concluir o trabalho com rapidez e tranquilidade. No entanto, esse modelo de plataforma é uma estrutura complexa que requer muito tempo e testes. 
Além disso, isso requer maior investimento e mais tempo de gestão do desenvolvimento que os empreendedores normalmente não dispõem. Portanto, uma empresa que forneceu uma plataforma testada é uma escolha interessante.

Vantagens de contratar uma marketplace pronto

Para alugar uma plataforma de Marketplace pronta, você deve procurar uma empresa especializada no fornecimento desse software. Esses fornecedores possuem conhecimento técnico, portanto a plataforma pode rodar normalmente porque já está rodando no mesmo modelo de outros clientes.
Além disso, essas empresas se acostumaram a trabalhar com o Marketplace, testaram diversas funções e prepararam totalmente o código. O único trabalho de um empresário é descobrir como funciona seu modelo de negócios e os itens essenciais da plataforma.

Principais desafios na criação de um Marketplace

Cartão de crédito para compra com o notebook

Importação e manutenção de informações sobre produtos são possivelmente o maior problema enfrentado atualmente pelo comércio eletrônico de nível corporativo. Não é incomum que a base de produtos do varejista seja alterada pelo menos uma vez por ano.
Ao fazer compras em uma loja física, o cliente pode ver o produto, sentir, pedir informações e ler a embalagem.

Para fornecer a mesma experiência on-line para o cliente, o varejista deve fornecer pelo menos uma foto, descrição resumida do produto, suas variantes em forma, cor e tamanho e uma lista de especificações do produto.

Agora, vamos imaginar um cenário perfeito em que você levará no máximo cinco minutos para preparar tudo isso. Se sua loja tiver uma base de produtos com mais de 10.000 produtos, você levará cerca de 800 horas para obter o catálogo em funcionamento.
Com 100 mil produtos, você precisa de três pessoas trabalhando o ano inteiro, sem feriados, oito horas seguidas por dia. Agora adicione o mix anual pelo varejista e sua cabeça vai definitivamente girar.

Trecho retirado do nosso artigo completo sobre o assunto. Confira em nosso blog: Os 6 principais desafios da criação de um Marketplace online.

Se você deseja saber os principais desafios na criação de um aplicativo de sucesso, como o modelo Marketplace, assista o Webinar realizado pelo CEO da Codificar, Raphael Canguçu sobre os principais desafios do lançamento de um aplicativo: 
https://www.youtube.com/watch?v=-0rxMOJZ5TU

Rentabilidade de um Marketplace de Nicho

  1. Faça uma boa pesquisa

Em primeiro lugar, não há dúvida de que escolher um nicho de Marketplace com potencial é o passo mais importante, pois essa decisão norteará os rumos do negócio. A dica aqui é: pesquise muito.
Na pesquisa, você pode consultar o Google Trends e analisar o volume de pesquisa relacionado às suas ideias.
Por exemplo, se você planeja criar um Aplicativo de Marketplace de carros usados, uma boa ideia é pesquisar por palavras-chave como “aluguel de carros pela Internet” ou “aluguel de carros online” e analisar o volume de pesquisa mensal.

  1. Forneça uma vantagem competitiva:

Ao escolher um bom nicho de Marketplace e investir dinheiro para entendê-lo, você pode criar uma estratégia de marketing para atrair compradores e vendedores para visitar seu site. Mas, primeiro, você precisa garantir uma vantagem competitiva no Marketplace.
Os Marketplaces de nicho geralmente diferem por oferecer aos varejistas e compradores produtos, atividades de marketing, preços, qualidade de serviço e serviços melhores do que os Marketplaces tradicionais.
Escolher um bom nicho de Marketplace e fazer a diferença, seja em termos de modelo de cotação, preço ou qualidade, facilita muito a conquista de segmentos de Marketplace. Além de abrir portas em outras direções, a Amazon e vários outros Marketplaces estão fazendo o mesmo.
Investir para criar um nicho de Marketplace pode ser muito positivo para acelerar o desenvolvimento do projeto. No entanto, como tudo no mundo dos negócios exige uma análise cuidadosa e investimento financeiro, certifique-se de que o nicho de Marketplace que você escolher tenha um bom potencial.

Split de Pagamento e Nota Fiscal no Marketplace

O split de pagamentos é uma ferramenta para pessoas que possuem um Marketplace e precisam dividir os pagamentos (produtos ou serviços) entre fornecedores.
Por exemplo, imagine a seguinte situação: um comprador visita um Marketplace de calçados e coloca vários produtos em um carrinho de compras, cada produto de um fornecedor (ou vendedor) diferente.No checkout, a divisão do pagamento divide o valor no checkout entre o próprio Marketplace e seus vendedores.
A repartição de pagamentos também ajuda a cumprir as normas do banco central em vigor no Marketplace, pois a utilização desta ferramenta elimina o processo financeiro de gestão empresarial.

Como prospectar vendedores e prestadores de serviços no Marketplace

Mulher em home office com notebook
A primeira etapa para iniciar o processo de atração de vendedores para o Marketplace é definir quem você realmente deseja atrair. Em outras palavras, quem é sua função empresarial. Eles são profissionais autônomos? Expandir a loja? A transação foi mesclada? Um perfil de seus fornecedores em potencial é fundamental para entender onde eles estão e como se comunicar com eles de maneira correta e eficaz.
A avaliação deve ser minuciosa, ou seja, não basta lembrar que se busca um pequeno produtor de artesanato. É necessário apresentar esse perfil com mais detalhes, considerando renda, sexo, idade, hábitos, necessidades, preferências e outras características do público que se deseja atrair.

5 Dicas de como prospectar vendedores para o seu Marketplace

1. Conecte-se com vendedores ativos em outras plataformas

Uma das maneiras mais fáceis e rápidas de usar as plataformas online e offline existentes para adquirir fornecedores para o seu Marketplace.
Por exemplo, você pode acessar reuniões relacionadas a negócios e eventos relacionados a empresários. Eles promovem produtos para encontrar novos clientes em tais eventos. Portanto, esta é uma grande oportunidade de se comunicar com eles e atrair vendedores para sua plataforma.

2. Forneça ao vendedor o número de compradores da sua plataforma

Quando já houver compradores em sua plataforma, isso permitirá que você atraia vendedores de forma rápida e fácil no início do Marketplace ponto a ponto. Mas como?
Após adquirir um comprador, será um grande benefício para o vendedor aderir à sua plataforma. Eles sabem que alguns clientes em potencial podem estar interessados ​​em seu produto.

3. Implemente diretrizes úteis em seu Marketplace ponto a ponto

O Marketplace de comércio eletrônico inclui vendedores experientes e iniciantes. Este último não conhece todas as dicas e truques que podem te ajudar a vender o produto.
Ao tornar a plataforma ponto a ponto fácil de usar, você pode resolver o problema do ovo e da galinha e atrair a equipe de vendas. Por exemplo, você pode adicionar um guia ou postagem de blog. Isso aumentará suas chances de ser um vendedor preferencial, porque você lhes dará algum valor.

4. Pesquise as expectativas do fornecedor e forneça orçamentos exclusivos

Como qualquer usuário, o fornecedor apreciará quando você cuidar deles e levar em consideração suas necessidades e desejos. Portanto, uma estratégia mais eficaz de aquisição de usuários para atrair equipes de vendas é fornecer ofertas exclusivas para seu software ponto a ponto.

5. Implemente um modelo de comissão justo e claro

Quando você inicia um Marketplace ponto a ponto e atrai vendedores, eles querem saber exatamente quanto pagarão. Isso afeta muito a confiança deles e a decisão final de começar a vender em sua plataforma. Apresentaremos brevemente as estratégias de lucro mais bem-sucedidas e eficazes.

Como escolher a melhor plataforma para Marketplace

Além de decidir entre desenvolver seu próprio site e a plataforma de Marketplace de trabalho, existem outros fatores importantes a serem considerados antes de escolher a melhor opção de negócio.
É importante lembrar que, embora o custo seja o fator decisivo, especialmente quando você está apenas se envolvendo neste campo, não é o único ponto a avaliar. A plataforma de Marketplace precisa fornecer uma boa experiência para locatários e compradores, deve ser fácil de gerenciar e estar preparada para o crescimento do seu negócio.

Priorize uma boa experiência

Ao escolher uma plataforma de Marketplace, primeiro você precisa considerar a experiência que os proprietários de lojas e compradores obterão ao usar a plataforma. É importante fornecer navegação intuitiva e fácil de usar. Afinal, se um cliente abandona uma compra porque não consegue navegar no site, não faz sentido fornecer produtos ou serviços de qualidade.

Simplifique o gerenciamento por meio da divisão de pagamentos

Nesse modelo de negócio, uma das preocupações dos gerentes de marketing e lojistas é a correta alocação dos pagamentos. Isso porque, nesse segmento de Marketplace, milhares de pedidos são feitos todos os dias, e o mesmo cliente pode adquirir produtos de vários fornecedores ao mesmo tempo. Portanto, a divisão correta das comissões é essencial.

Considere desenvolver seu Marketplace

O objetivo de todo empreendedor é fazer sua empresa crescer. Porém, além de focar no crescimento de seu Marketplace, também deve estar preparada para manter esse crescimento. Comece escolhendo uma plataforma escalonável.
Esse tipo de plataforma é uma plataforma flexível quanto à negociação de taxas, ou seja, oferece condições de médio e longo prazo, e quando o seu Marketplace começar a crescer em número de vendedores e visitas, a taxa não será exagerada.

Métricas de Marketplace

Muitos indicadores de Marketplace podem ser rastreados. Portanto, em empresas que estão no estágio de escala e tração, existem equipes dedicadas a analisar indicadores, inteligência de mercado, oportunidades, etc. no mercado.

Mas vamos falar sobre os principais indicadores de Marketplace que os empresários precisam seguir aqui. Basicamente, são indicadores de uso, transação, negócios e satisfação.

Porém, desde o primeiro dia de trabalho, você não precisa e não deve gerenciar tudo isso por meio do monitoramento diário. Alguns podem ser monitorados uma vez por semana e alguns podem até ser monitorados uma vez por mês.

Medição de uso de marketplace

Eles são a base de todos os negócios online e podem ser rastreados em serviços como o Google Analytics. Os três mais importantes são: usuários ativos mensais, taxa de rejeição e tempo gasto no site.

Usuários ativos mensais

Usuários ativos mensais (MAU, que vem da sigla Monthly Active Users). Meça o número de pessoas que visitaram seu site pelo menos uma vez por um usuário único durante o período selecionado.

Taxa de rejeição

Ele representa a taxa de visitantes que entram em seu site e não têm interação logo em seguida. Os dados mostram que mercados populares como Etsy, Ebay e Amazon têm taxas de rejeição entre 20% e 25%. Quanto menor, melhor.

Tempo gasto no site

Meça a duração da visita. Muito tempo pode indicar que os usuários não conseguem encontrar o que desejam, mas também pode significar mais oportunidades de compra.
Esses indicadores são importantes não apenas para você, mas também para seus fornecedores. Eles os usarão para comparar suas plataformas com as dos concorrentes para determinar onde fornecer seus produtos / serviços.

Métricas de transação para marketplace

Métricas de Liquidez

Você deve medir dois números de liquidez: fornecedores e consumidores. A primeira é o percentual de listas que são convertidas em transações em determinado período de tempo – mensal (Etsy), diário (AirBnb) ou mesmo horário (Uber), dependendo do conteúdo disponibilizado. A segunda se refere à possibilidade de que a visita ao seu site resulte em uma transação. A boa liquidez do consumidor é de cerca de 30% e 60%.

Relação fornecedor / consumidor

Também conhecido como proporção de compradores para vendedores, esse indicador é definido pelo número de consumidores que o fornecedor pode atender. Como no mercado imobiliário, pode ser tão baixo quanto 1: 1: 1 e, em sites de vendas de imagens de arquivo, pode ser tão alto quanto 1: 1: 1.

Relação de compra recorrente

É igual à porcentagem de transações feitas por pessoas que já compraram mercadorias em seu mercado. Quanto maior essa proporção, porque os clientes fazem várias transações, você pode gastar mais dinheiro para atrair novos clientes. Se transações repetidas não são comuns em seu mercado, você pode ter problemas, por exemplo, em um site que conecta o patrocinador com a pessoa que deseja se casar.

Indicadores de mercado de negócios

GMV-Vendas totais de mercadorias

Representa o valor total de vendas de um produto / serviço por meio de seu mercado em um determinado período. Este é um bom indicador para estimar o tamanho da plataforma, não a integridade da plataforma. Portanto, para obter seu lucro total, você precisa multiplicar o GMV por sua taxa de aceitação (o percentual ganho por transação).

CAC-Custo de Aquisição do Cliente

Refere-se ao preço que você paga para adquirir clientes. É a soma das despesas totais de marketing e vendas dividida pelo número de clientes convertidos durante o período de análise. Quanto mais próximo de zero, melhor.

CLV – valor do ciclo de vida do cliente

Essa é a receita total que você deseja de cada cliente. Este indicador deve ser superior ao CAC e é usado para avaliar a viabilidade do seu negócio. Mas pode ser difícil de calcular porque depende de quanto tempo você pode manter seus clientes, quantas compras repetidas você espera que eles façam e o valor do tíquete médio.

Métricas de satisfação do cliente no mercado

Também é importante medir a satisfação de seus usuários (sejam eles fornecedores ou consumidores).
O NPS (Net Promoter Score) é um dos métodos mais populares na indústria e pode ajudá-lo a resolver esse problema. Sua vantagem não é medir uma emoção, mas uma intenção.

Infográfico: 10 dos maiores cases de sucesso de Marketplaces do mundo

infografico
info

Conclusão

O Marketplace oferece a seus proprietários um modelo de negócios surpreendentemente enxuto e escalável. Algumas das maiores empresas do mundo são bons exemplos. Por exemplo, aplicativos de mobilidade como o Uber não possuem carros. 
Um aplicativo de marketplace como o Airbnb não possui apartamentos, e a Amazon não possui a maioria dos bens e serviços que vende.

Embora o modelo precise vender mais bens ou serviços para atingir o ponto de equilíbrio, o fato de o foco estar nas plataformas e na cobertura dos consumidores significa que as economias de escala são mais fáceis de alcançar.
Ao contrário de outros negócios digitais, novos proprietários de Marketplaces também podem se surpreender com o que uma equipe relativamente pequena pode realizar.

Tal solução significa que o mercado pode ser efetivamente utilizado por uma equipe muito pequena de engenheiros. Isso mantém o mercado ágil e pronto para se adaptar à dinâmica e à concorrência do e-commerce.
O Marketplace está ocupando rapidamente o mundo do e-commerce.

Na verdade, até 2022, a receita do mercado online deve dobrar. Para as pessoas que desejam migrar para o e-commerce, os marketplaces online já são uma opção bastante lucrativa. A prova disso é que as pessoas já sabem o que é Marketplace, e esse é um cenário bem diferente de alguns anos atrás.

Com uma metodologia bem desenvolvida para analisar, isolar e resolver partes de sua jornada ao mesmo tempo em que coloca o cliente em foco, você poderá desenvolver, testar e lançar rapidamente qualquer novo recurso ou funcionalidade para encurtar o ciclo de vendas e garantir retenção e receita contínuas crescimento.

Se ainda houver dúvidas, ou desejar saber criar um aplicativo próprio marketplace online, você pode entrar em contato direto com a nossa equipe, através do formulário abaixo: