Melhores Práticas de Utilização de Softwares Ágeis

Melhores Práticas de Utilização de Softwares Ágeis para Gerenciamento de Projetos

Quem não quer melhorar as suas chances de desenvolver um produto consistente, no orçamento e do prazo, com o mínimo de estresse e surpresas?

Confira a seguir as boas práticas para gerenciar o desenvolvimento de software para uma gestão mais simples, eficaz e menos onerosa.

Independentemente do modelo de desenvolvimento (Waterfall, Scrum, etc.), existem algumas regras principais que devem ser consideradas sobre a gestão de projetos de software.

Defina claramente as funções e tarefas da equipe

A divisão de rotinas e o papel de cada um no time devem ser claros, pois isso tem impacto direto na produtividade e evita esforços redundantes e desperdício de tempo.

Quando os membros da equipe sabem quem é responsável pelo quê e entendem a estrutura das tarefas, é mais provável que eles executem o melhor de suas habilidades.

Tenha em mente que saber gerenciar o desenvolvimento de software de forma bem-sucedida exige colaboração de equipe em todo o ciclo de vida de desenvolvimento.

Invista pesado na comunicação

Nada pior que identificar problemas que poderiam ter sido evitados se houvesse mais entendimento entre a equipe e a gerência.

O tempo de seus desenvolvedores é precioso, e seu papel como gerente é garantir que ele seja utilizado da melhor maneira possível. Para isso, tome medidas que facilitem a comunicação, como instituir a daily como rotina.

Se a equipe for remota, utilize ferramentas de vídeo e de mensagens. Estabeleça um único ponto de contato entre a equipe de desenvolvimento e as partes interessadas no projeto. Faça demonstrações semanais (sprints) dos avanços do projeto de software e avalie o seu progresso.

Esse feedback ajuda a evitar mal-entendidos e a detectar problemas a tempo. Também é recomendável adotar ferramentas de gestão e documentação para que todos tenham acesso fácil a atualizações e ao andamento do projeto.

Tenha uma estratégia de documentação

Quando a equipe se compromete em documentar tudo, desde fluxos de trabalho e ferramentas até processos de atualização de versões, ela cultiva um ambiente que incentiva o comprometimento com os procedimentos de toda a empresa.

A documentação também ajuda os desenvolvedores a recuperar informações e entender o raciocínio por trás do sucesso de uma solução. As seguintes técnicas auxiliam as equipes a ter práticas sólidas de documentação: Fonte única de verdade:

Essa documentação deve ser universalmente disponível para todos os colaboradores, para não haver várias cópias incompletas de informações circulando.

Com uma única fonte de verdade, os desenvolvedores podem consultar um texto vivo e colaborar para garantir que o documento seja atualizado e reflita com precisão o estado atual de um projeto ou procedimento. Wikis:

Os membros da equipe podem hospedar a documentação do seu repositório (GitHub, por exemplo) em um wiki para consultar e entender os antecedentes e as práticas recomendadas, economizando tempo de reuniões para se atualizarem.

Wikis são uma ferramenta útil para transmitir informações e ajudar todos os membros da equipe a obter as informações necessárias para contribuir com um projeto. Contudo, cada processo de software tem uma estratégia de documentação, mesmo métodos ágeis ou XP (backlogs, informações de lições aprendidas, itens de bugs etc.).

Defina KPIs de qualidade de software

As métricas conseguem indicar problemas, gargalos operacionais e pontos que necessitam de melhorias. Crie indicadores de desempenho para avaliar como o time está trabalhando com parâmetros de desempenho.

Por exemplo, você pode avaliar o número de erros no código-fonte, a frequência com que erros de execução ocorrem e a aderência de profissionais aos prazos criados. Todos esses fatores estão diretamente ligados à qualidade do produto final.

Especifique os requisitos

Para gerenciar o desenvolvimento de software, o gerente deve coletar todos os requisitos desde o início, mesmo que saiba que eles tendem a mudar durante a fase de desenvolvimento.

O bom gerenciamento de requisitos reduz os custos e o tempo de desenvolvimento do projeto e também melhora a qualidade de todo o processo, como o escopo do software e os testes funcionais.

Essa fase de especificação trata das características e propriedades do sistema ou uma descrição do que o sistema deve fazer, de como ele deve se comportar, bem como das suas restrições de operação.

Boas práticas de engenharia de requisitos envolvem uma declaração de visão e escopo do sistema; os procedimentos para desenvolvimento dos requisitos, a identificação de usuários e diferentes grupos de interesse no sistema, a definição dos atributos de qualidade do sistema e o desenvolvimento de mecanismos que possibilitem o reuso de requisitos.

Quando os requisitos não refletem as reais necessidades dos usuários, são incompletos e/ou inconsistentes, é inevitável que haja retrabalho, atrasos no cronograma e aumento dos custos.

Assim, defina os objetivos do projeto, o tamanho do orçamento, o prazo, as restrições de desempenho e os que é esperado como resultado final do projeto. É importante ainda estabelecer quais são os potenciais riscos e obstáculos que podem surgir.

Execute o controle de versão

O controle de versão deve incluir o código e outros documentos. Ele dará suporte ao trabalho conjunto no código, retornando a versões mais antigas do código e facilitará o gerenciamento de versões e dependências.

A estratégia de versionamento (numeração de versão, períodos de versionamento, etc.) também deve ser determinada. Para facilitar o trabalho, adote um software de controle de versão. Embora seja possível desenvolver software sem usar nenhum controle de versão, fazer isso submete o projeto a um alto risco que nenhuma equipe profissional seria aconselhada a aceitar.

Então, a pergunta não é se você deve usar um controle de versão, mas qual sistema de controle de versão utilizar.

Realize testes

O teste é uma das principais fases do desenvolvimento de software para verificar a funcionalidade, usabilidade e estabilidade do produto.

Para garantir a qualidade, a equipe deve testar cada pedaço de código, tanto manualmente quanto por ferramentas automatizadas, para descobrir se há erros ou falhas.

Revise o código com frequência

As revisões de código regulares garantem a melhoria contínua e evitam que códigos instáveis sejam enviados aos clientes. Cada membro da equipe (independentemente da experiência e formação) deve ter seu código revisado.

Ao concluir uma revisão de código, os desenvolvedores devem listar claramente quais alterações são necessárias, não obrigatórias ou soluções alternativas.

Ao comunicar claramente o raciocínio por trás de cada sugestão, a equipe fornece feedback e insights sobre como simplificar o código enquanto ainda resolve um problema.

Por que os projetos de desenvolvimento falham?

A resposta é simples: porque softwares são feitos por seres humanos. Além disso, as falhas de projeto são mais comuns do que você imagina.

Segundo a KPMG, 70% de todos os projetos de desenvolvimento de software falham, mas a implementação de um processo de gestão pode reduzir esta taxa em pelo menos 20%.

Conclusão

Investir em práticas ágeis para o gerenciamento de projetos de software não é apenas uma opção, mas uma necessidade para as empresas que desejam manter-se competitivas e entregarem produtos de qualidade no mercado.

Ao definir claramente as funções da equipe, investir na comunicação, documentação, definir KPIs de qualidade, especificar requisitos, executar o controle de versão, realizar testes e revisar o código com frequência, as organizações podem aumentar significativamente suas chances de sucesso e reduzir os riscos de falhas nos projetos de desenvolvimento de software.